Liberdade para voar  começou com a ideia de desenhar pássaros que levassem a mensagem de preservação da natureza. E quem deu uma força para a série nascer foi meu bico de pena e o nanquim. Procurei me inspirar nos grafismos de povos indigenas da amazônia. Então criou-se essa série de pássaros livres e cantores da Mata, que traz inicialmente alguns Prints feitos com papel reciclado de espécies de pássaros extintos, ou quase em extinção, das florestas brasileiras, tais como: o Caburé-de-Pernambuco, a Arara Vermelha, o Pica-pau da Parnaíba, o Gavião Real e o Macuquinho-Preto-Baiano. Cada um com sua beleza única, em suas penas e penugens estampadas e coloridas para permanecerem vivas em nossa memória, pois trazem consigo o clamor das florestas. Preocupada com a responsabilidade social que todos devemos ter com o planeta - e por buscar resgatar e valorizar as nossas raízes - 25% da renda arrecadada através das vendas desses Prints foi doada ao posto de saúde da terra indigena Trocará de Tucuruí, onde vivem os Assuriní. Atualmente eles precisam de medicamentos básicos e uma estrutura melhor na Aldeia visto que já registraram até diversas mortes por gripes.